Holanda

Atualizado: 11 de fev.

O país encanta com suas cidades charmosas e estilo de vida!

Explore Amsterdam e seu entorno como um quase local.


Amsterdam

Ao chegar no aeroporto Schiphol, Holanda, pegamos um Uber até nossa casa em Aalsmeer, uma cidadezinha a 19km de Amsterdam. Nossos anfitriões Albert e Lisa nos esperavam cheios de simpatia para entrega das chaves de sua bela residência.

Gostei de imediato da localização, da rua tranquila e bonita e da ciclovia a perder de vista. A casa que nos acolhia tinha uma bela arquitetura, um interior moderno, bem equipado, confortável e com um lindo projeto de iluminação que não passava despercebido. Nos fundos um agradável e bem cuidado jardim, com um paisagismo de muito bom gosto, nos convidava a desfrutá-lo.



Aalsmeer

Tanto para nós como para os amigos que viajavam conosco, foi um alívio chegar em casa depois de um atraso de 3 horas no voo desde nossa conexão em Paris. Todo o cansaço da viagem, nos fez mudar os planos que tínhamos em mente para o passeio desse primeiro dia. Mas logo depois de um bom banho e um descanso merecido, fomos conhecer a vizinhança dos nossos próximos 7 dias.



Aalsmeer é mais uma encantadora cidade da Holanda, com um toque de modernidade, ruas limpas e bem projetadas, decoradas por casas charmosas de jardins caprichosos. O paisagismo é levado a sério neste país que possui a maior variedade de flores do mundo, portanto Aalsmeer não poderia ser diferente, já que ali está localizada casa-sede dos leilões Royal FloraHolland, a maior cooperativa de criadores de flores do mundo.



Saímos à pé e a brisa fresca do início do verão já mostrava que apesar do sol, o clima seria ameno. A poucos metros de casa encontramos um bom supermercado e com entusiasmo fomos às compras. A variedade e os preços eram bem animadores. Frutas, verduras, cogumelos, pães, queijos... todos de ótima qualidade.


A Holanda eliminou quase por completo a utilização de pesticidas químicos nas plantas cultivadas em estufas. O futuro da agricultura sustentável ganhou forma em todos os cantos do país, em milhares de explorações agrícolas familiares de pequena dimensão.


Depois de um agradável passeio nas imediações e com a casa já abastecida, confraternizamos com um delicioso e nutritivo jantar, regado a vinho e cervejas locais, para brindar a nossa chegada.







Acordamos cheios de entusiasmo e expectativa para conhecer Amsterdam.

E logo estávamos à bordo de um ônibus elétrico rumo à Centraal Station, no centro histórico. No caminho, mais encantamento, fomos apreciando a paisagem, os prédios, o ir e vir dos moradores.



Os ônibus na Holanda são ótimos e todos que pegamos eram elétricos. Pode-se comprar um bilhete com duração de 1:30h e o mesmo pode ser usado também para o metrô, dentro do período. Você pode comprar o bilhete dentro do ônibus, mas somente com cartão (dinheiro não é aceito).

Amsterdam

Na verdade, a melhor e mais barata forma para se deslocar é comprar o I amsterdam City Card, um bilhete com entrada livre nas principais atrações da cidade, museus, trens e ônibus e um cruzeiro pelos canais. É possível escolher as opções de cartão de 24, 48, 72, 96 ou 120 horas. Portanto assim que chegamos na Centraal Station nos dirigimos até a loja da I amsterdam e pegamos nosso City Card. Recomendo!



Caminhamos com empolgação e deliciosamente nos perdemos nas ruas de Amsterdam, uma cidade intensa, com uma vida cultural rica. Por todo lado víamos anúncios de diversos concertos gratuitos, festivais, shows e mercados que acontecem nessa época do ano.





Tambem fizemos questão de Visitar o emblemático bairro Red Light District e suas vitrines de mulheres.

Longe de ser perigoso e mal frequentado, o Red Light nos surpreendeu pela tranquilidade e segurança. Por suas ruas circulamos calmamente entre moradores, crianças, famílias e outros turistas,…Vale muito o passeio!


Para os amantes de museus, vale visitar a Museumplein, também conhecida como Praça dos Museus, lá estão os 3 principais museus da cidade, Rijksmuseum, Van Gogh e Setedelijk, além do famoso letreiro I Amsterdam.



Rijksmuseum

Rijksmuseum é um dos museus mais renomados do mundo. Em um prédio com arquitetura notável, o visitante mergulha na história da arte, descobrindo toda riqueza e diversidade de suas coleções, através de mais de 8.000 obras.

O museu guarda muito material relativo ao tempo da invasão holandesa no Brasil no séc. XVII. Bem interessante também para as crianças em idade escolar.





Van Gogh Museum

O Van Gogh museum é um deleite para os olhos dos amantes da pintura impressionista. Reúne mais de 200 pinturas de Van Gogh, a maior coleção no mundo em exposição permanente.





Setedelijk


Setedelijk é o maior museu de arte moderna e contemporânea do país, sendo um dos mais inovadores e interessantes







A casa de Anne Frank- lugar onde esta adolescente judia permaneceu escondida durante a ocupação nazista na Holanda, na 2ª Guerra Mundial. É comovente conhecer o anexo secreto onde ela escreveu seu famoso Diário, traduzido em mais de 70 idiomas, com 35 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Programe-se e compre o ingresso com antecedência no site oficial pois o local é muito procurado.



Depois de percorrer a pé o centro histórico, nos encantando com suas construções e seus belos canais, fomos até a agência Mac bike pegar as bicicletas que reservamos para nossa estada nesse lindo país.



Já eram 18 horas quando começamos a pedalar de volta para casa. Um pouco tarde, mas estávamos tranquilos pois nosso aplicativo de ciclovias holland cycling routes, prometia um trajeto de 50 minutos até nossa casa. Maravilha, tudo estava indo muito bem até que... acabou a bateria do celular. Sem o GPS para nos guiar, continuamos seguindo à moda antiga, pedindo informações, porém, levamos 5 horas pra chegar em casa! Pode parecer uma “roubada”, mas este imprevisto nos proporcionou a felicidade de conhecer lugares que não estavam no roteiro!




Foi incrível, saindo do burburinho do centro histórico, cruzamos bairros arborizados de limpeza impecável, belas casas, jardins floridos e bares charmosos.




Por um bom tempo seguimos margeando o belíssimo rio Amstel, pedalando por uma estrada longa e estreita, sem ciclovia mas bem tranquila. Assim como os holandeses, começamos a vivenciar o estilo de vida em duas rodas, o que nos deixou completamente encantados!



Passamos pela graciosa vila de Nes aan de Amstel, Uithoorn, Legmeer e continuamos pedalando...





Não desanimamos enquanto as horas corriam, graças ao horário de verão europeu o sol nos acompanhava ainda alto, nossos adolescentes pedalavam forte e tínhamos um bom espírito de equipe!

E ufa, conseguimos! Às 23 horas, já no “lusco-fusco”, entramos em casa.

Saldo do dia: 20km caminhada e 40km pedalando. Uma aventura e uma super volta. Mas também descobertas maravilhosas e um cansaço bom que nos fez dormir profundamente naquela noite.




Na Holanda a infraestrutura é voltada para ciclistas: muitas estradas são acompanhadas por ciclovias. Os ciclistas também têm suas próprias passagens e semáforos. E muitas vezes ciclovias permitem alcançar lugares onde você simplesmente não pode chegar de carro.






Acordamos com um dia lindo na manhã seguinte, aliás tivemos muita sorte com o tempo, sol em todos os dias. Logo, depois de um delicioso café da manhã, organizamos nossa saída para conhecer Haarlem. Nossos filhos, 13 e 14 anos mereceram um day off para descansar da pedalada puxada do dia anterior, mas nós adultos estávamos prontos e cheios de expectativas.






Tranquilamente pedalamos 22km até Haarlem, sempre em ciclovias, entre paisagens urbanas e parques.




Logo que chegamos fomos presenteados com esta bela visão, a Catedral St Bavo, e antes de nos aproximar, fizemos uma pausa para admirá-la, onde o canal que nos separava compunha o cenário.


Catedral St Bavo


moinho De Adriaan

O moinho De Adriaan, é mais um cartão-postal da cidade que merece ser visitado, fica a 5 minutos de bike da estação Central de Haarlem. Ele é aberto para visitação em horários específicos, mas já vale a pena vê-lo de fora e tirar várias fotos.





Amsterdamse Poort


Outro lugar para incluir na lista é o Amsterdamse Poort, antigo portão da cidade, construído em 1355 é o único que resta dos doze originais. Infelizmente não tivemos tempo de visita-lo, mas deixo uma foto para inspirar a visita numa outra oportunidade.















Haarlem é também conhecida por ter mais de 100 cervejarias artesanais, incluindo a Jopenkerk, que fica dentro de uma antiga igreja. Sua localização aliás, foi a primeira informação que pedimos, e até que foi fácil encontrá-la. Do lado de fora, muitas mesas ao ar livre, lotadas de clientes. Mas o legal mesmo foi ficar do lado de dentro, e apreciar a decoração e o ambiente iluminado pela luz filtrada dos vitrais coloridos. Com a sugestão do barman, optei por um delicioso chopp IPA para brindar o aniversário do meu querido Gui.




Chegamos em casa por volta das 16 horas, ansiosos para encontrar nossos filhos, que já estavam descansados e prontos para uma voltinha. Saíram pedalando pelo entorno e terminaram no supermercado descobrindo as variedades do local. Voltaram bem empolgados, com 5 euros cada um, trouxeram uma sacola cheia de gostosuras.



Enquanto isso, tomamos um banho relaxante e preparamos um jantar delicioso, continuando a celebrar com o aniversariante e brindar mais um passeio de sucesso.


Me sentia realizada e a cada dia este país me deixava mais e mais encantada. A Holanda é considerada um dos países com melhor qualidade de vida do mundo e constatávamos isso o tempo todo.


Na manhã do quarto dia, resolvemos explorar o entorno de Aalsmeer, nossa base. O dia estava lindo e pelo caminho logo notamos como os holandeses sabem aproveitar bem o verão em sua terra, com muitas famílias passeando de barco pelos canais.


É água por todo lado, então conhecer de perto a história desse país que tem uma significativa parte de seu território obtida com a recuperação e preservação de terras através de um elaborado sistema de diques é realmente fascinante.

Rumamos ao Amsterdamse Bos, um parque a 10km de casa, com área verde perfeita para pedalar, nadar e fazer um pic-nic. Com 137 km de trilhas, 51 km de ciclovias e 50 pontes, o lugar é realmente incrível! Foi um super passeio!







Claro, não dá pra ver tudo num dia só, mas não faltam opções de diversão. Entre 150 espécies de árvores e mais de 200 espécies de pássaros, vimos crianças cavalgando, casais em caiaques, muita gente pedalando e senhores jogando golfe.










Amsterdamse bos

O lugar tem pontos de uma beleza selvagem, mas também tem lindos gramados, área de camping, piscinas, área de recreação, teatro ao ar livre e muitas outras atrações.



Depois de pedalar bastante, fizemos uma pausa deliciosa, montamos um pic-nic na beira de um lago. E voltamos pra casa por um caminho diferente, tão prazeroso quanto o da ida.


Já em casa, enquanto cozinhávamos o jantar, preparamos uma degustação de cervejas com avaliações bem interessantes. Mais uma confraternização alegre e prazerosa entre bons amigos.



Acordei bem empolgada. Afinal, estávamos indo para Delft, uma cidade que parece saída de um conto de fadas. Só não imaginava que este dia superaria minhas expectativas. Saímos de casa bem cedinho, com o pic-nic pronto na mochila, e pedalamos até a estação de trem mais próxima, dentro do aeroporto Schipool, a 7km de casa.









Fizemos todo o trajeto por ciclovias, no aeroporto deixamos as bikes estacionadas (sempre importante lembrar de prender-las com cadeados para evitar roubo). Dentro do aeroporto tem uma estação de trem para diversos destinos, inclusive para Delft. Uma tranquila viagem de 38min.



Se você está em Amsterdam, poderá pegar um trem para Delft na estação central, a viagem dura aproximadamente 1h, e o valor do bilhete é a partir de € 14,80


Delft

Logo que saímos da estação, entramos num cenário romântico e encantador.

Delft é pura poesia!



Suas ruas, canais, monumentos...Tudo foi se descortinando de forma harmoniosa e pitoresca.



Chegamos até a Markt, a praça principal, onde estava acontecendo uma feira de antiguidades, artesanatos, comidinhas e um agradável show de blues. Ali sentamos, comemos e curtimos o clima festivo.





Apreciando cada minuto e querendo conhecer todos os cantinhos dessa linda cidade, seguimos por ruas largas e travessas estreitas.




Logo chegamos a beestenmarkt, ponto de encontro da população local e turistas. Rodeada por bares, sorveterias e restaurantes, a praça oferece estrutura para curtir longos papos entre amigos, enquanto crianças brincam em caixotes de areia.





O dia em Delft foi tão mágico e intenso que merece uma matéria exclusiva, então me preparo para em breve lhes apresentar detalhes e indicações dessa cidade que ganhou meu coração.



Depois desse passeio maravilhoso, voltamos para nosso agradável cantinho. Quando se está bem instalado, voltar para casa é apenas continuação do programa. Então, já na nossa casinha, brindamos e celebramos a vida.

Aproveitando o clima ameno fizemos uma bela fogueira no jardim.

Foi ótimo ter recolhido lenha no parque no dia anterior...Valeu a ideia Serginho!!!!








Em nosso sexto dia na Holanda preparamos um roteiro para conhecer três cidades num único dia… Zaanse Schans, Edam e Volendam.

Pedalamos até o ponto do ônibus (bicicleta vira um vício, tá pessoal? rsrsrs) e lá estacionamos as bikes. Então pegamos ônibus/metrô/trem até a estação de Zaandijk , para conhecer Zaanse Schans, nossa primeira parada.








Logo que descemos da estação em a Koog-Zaandijk, seguimos a pé por uma rua agradável e florida. Aliás, como os europeus amam flores! Caminhamos 15 min até a vila dos moinhos ao lado do rio Zaan.










Uma outra opção para ir a Zaanse Schans, é pegar um ônibus direto, na Centraal Station (45’ de viagem) e parar na entrada do bairro.


Zaandam

Zaanse Schans é um bairro de Zaandam, é bem turístico e movimentado, mas um passeio que vale a pena considerando a pouca distância de Amsterdam e os atrativos que oferece.


Zaanse Schans

Tem moinhos abertos à visitação(é interessante ver o maquinário todo de madeira) e nas casinhas históricas dos séculos XVIII e XIX, se pode comprar especialidades locais: queijos, chocolates, souvenir e até os famosos tamancos de madeira.


Logo na entrada há um centro de informações onde é possível adquirir um mapa com dicas em vários idiomas, no Zaans Museum pode-se conhecer a história de Zaanse Schans, da Holanda industrial e do grande pintor francês Claude Monet, que morou em Zaandam no ano de 1871.



Seguimos turistando e percorrendo a vila. Na primeira casa que entramos havia um pequeno museu com uma lojinha de souvenires, comidinhas e um chocolate quente “self-service” delicioso, que deixou saudades!



Quase não fomos embora da fábrica de queijo Catharina Hoeve, simpáticas funcionárias em trajes típicos nos ofereciam vários tipos e formatos de queijos em degustações gratuitas!




Detalhe da fábrica dos típicos tamancos holandeses – se você quiser levar um pra casa eles tem de todas as cores e tamanhos!



A programação foi intensa neste dia, mas não deixamos a vila antes de fazer nosso pic-nic em uma bela área, reservada para lanches e descanso. De lá seguimos para Edam, nosso o próximo destino!



Em Zaanse Schans existem boas opções para almoçar ou tomar um lanche, é possível comer uma salada, tomar uma sopa ou um sanduíche, um stroopwafel, sorvete, chocolate quente, bolo de morango ou apenas um café expresso. Mas também tem uma área de pic-nic, caso você tenha levado o seu lanche, já que na Europa é muito comum.


Edam

Logo que chegamos já me encantei, Edam é o tipo da cidade que eu gosto, pacata, tranquila e charmosa!




A cidade estava vazia, talvez por não ser o dia do mercado de queijos ( realizado todas as quartas-feiras), tradição local que se mantém desde à Idade Média.




Mas foi uma sorte encontrar aberta uma loja especializada! Ali tivemos a felicidade de provar sua grande variedade de queijos com deliciosos patês, pães e geleias como acompanhamentos.






Essa encantadora cidade tinha como atividade principal a pesca. Hoje em dia é mundialmente conhecida por sua produção de queijos.








Com canais por todos os lados, as pontes levadiças abrem passagem para as embarcações. Algumas são bem modernas, mas Edam ainda preserva as de madeira do século XVIII e XIX, que se destacam na paisagem deixando a cidade ainda mais charmosa.










Assim, depois de um dia repleto de atividades, pegamos um ônibus sentido Voledam, mas o relógio já nos mostrava que não teríamos mais tempo suficiente para vivenciar o local. Por um lado foi uma pena, mas por outro, um motivo para voltar. Portanto Voledam, voltaremos!



Voledam

Deste modo, seguimos de ônibus até Amsterdam, e na sequência pegamos um outro até Aalsmeer. Como foi bom ter em mãos nosso I amsterdam City Card facilitando todo o trajeto do dia! Então, confortável e tranquilamente fomos curtindo a paisagem até o ponto onde deixamos nossas bikes. E assim, chegamos em casa pedalando.


Depois de uma noite alegre e um delicioso jantar, acordamos para nosso último dia nesse país admirável. E especialmente reservamos para curtir mais uma vez a vibrante Amsterdam.




Como nosso trem saía bem cedo manhã seguinte, resolvemos deixar as malas feitas e a casa organizada. Assim, depois de tudo pronto fomos aproveitar o dia. Pegamos as bicicletas e rumamos para Amsterdam.


Fizemos o caminho indicado pelo aplicativo holland cycling routes.

O dia estava especialmente lindo, e em pouco tempo chegamos ao Vondelpark, um dos parques mais conhecidos em Amsterdam.


Vondelpark

Com um grande lago na área central, vastos gramados e árvores frondosas o parque é um ponto de encontro de moradores e turistas.



Sem dúvida o Vondelpark é um lugar que merece ser visitado com calma... fazer uma pausa para relaxar e desfrutar de momentos tranquilos nessa bela área verde.


Amsterdam

Continuando nosso passeio, chegamos ao centro de Amsterdam, logo precisávamos devolver as bicicletas, então seguimos para agência Mac bikes. Posso dizer que ficamos muito satisfeitos com o atendimento do pessoal da agência e com as bicicletas que escolhemos, todas bem reguladas, funcionando perfeitamente.





Para comemorar nosso ultimo dia, fizemos um pizza cruise!


O Pizza Cruise da empresa Stromma é um barco restaurante que navega pelos canais de Amsterdam. Durante o passeio que dura 1:30h, um simpático anfitrião conta um pouco da história da cidade. E a melhor parte: podemos escolher uma pizza tamanho médio por pessoa, acompanhada de vinho, cerveja, refrigerante e água a vontade. Há também um couvert delicioso de entrada e sorvete da Ben & Jerry de sobremesa. Realmente é um passeio delicioso, recomendo!


O barco-restaurante da Stromma , também oferece opções como: *Dutch Cheese & wine cruise : Queijos e vinhos *Amsterdam Dinner Cruise: Jantar requintado com 4 deliciosos pratos, vinho, cerveja, refrigerante e água *Cocktail Cruise: Deliciosos coqueteis


Foi incrível ver Amsterdam por um outro ângulo! Passamos pelos principais canais e monumentos da cidade e também pelas famosas casas flutuantes, que estão permanentemente ancoradas em um endereço específico. Muitas delas são luxuosamente decoradas, e tem jardins nos terraços. Algumas têm mais de 100 anos e mantêm características originais mas com comodidades modernas, como eletricidade, aquecimento e água corrente


Foi um programa muito interessante e delicioso! Comemos e bebemos bem, aprendendo um pouco mais sobre Amsterdam. Podemos dizer que fechamos essa etapa da nossa viagem com chave de ouro!




A Holanda é um país que me encantou muito. Aqui vivemos momentos únicos e experiências maravilhosas. Deixo a Holanda já com saudades, e com a certeza de que voltarei.



Quando ir

Fomos no final de junho-inicio de julho em pleno verão, pegamos tempo bom, com vento constante e sol até as 22:30


Onde ficar

Sem dúvida você encontrará boas opções de hotéis, hostels e até campings, mas nós optamos por alugar uma casa pelo Airbnb, isso nos trouxe vários fatores positivos como, conforto, uma boa economia não só na estadia como também na alimentação, pois preparávamos nossas refeições com os deliciosos ingredientes locais, além dos momentos de confraternização que foram especiais nessa forma de estadia.



Transporte e atrações

Recomendamos fortemente o I amsterdam City Card!

Disponível nas versões 24, 48, 72 ou 96 horas, este cartão dá direito a entrada livre nas principais atrações da cidade e transportes públicos durante a sua validade. Além disso, inclui um cruzeiro de 1 hora pelos canais e descontos em teatros e restaurantes. Pode ser comprado online, no aeroporto ou em lojas I amsterdam.



Alimentação

Esse foi um dos pontos fortes da viagem, sempre presente em nossas melhores lembranças. E não estou falando dos restaurantes internacionais de Amsterdam. Adoramos cozinhar e o que vem à mente nessa hora são os diversos tipos de cogumelos e frutas frescas locais como cereja, mirtilo, framboesa e groselha, queijos Gouda, verduras bio, pães maravilhosos, doces típicos e muito obrigada, cervejas incríveis e excelentes vinhos. Na verdade essa lista é bem longa, mas o melhor foi encontrar tudo isso no supermercado da esquina, com alta qualidade e ótimos preços.



Bicicletas, onde alugar

Tivemos uma ótima experiência na locadora Mac Bike.

As bicicletas são ótimas, novas e leves. Eles tem diversos modelos e tamanhos: urbanas, com alforjes para viagem, elétricas e também acessórios para criança.

Ficamos muito satisfeitos, nenhuma delas deu problema.


Dicas

* Não esqueça de prender bem sua bicicleta para evitar roubos. Sim, na Holanda também existe roubo de bikes, principalmente em Amsterdam.


* Cuidado com as scooters e bikes elétricas, sim elas podem andar pela ciclovia, então fique atento ao pedalar.


*Na ciclovia, use sempre o lado direito, deixando a esquerda livre pra os mais apressados. Eles são muitos.


* Em sua pedalada, se for mudar de direção não esqueça de sinalizar com as mãos, indicando o sentido. Se esquecer de sinalizar, certamente você receberá advertências de outros ciclistas


Agradecimentos:


I amsterdam

https://www.iamsterdam.com/pt/i-am/i-amsterdam-city-card








Se você gosta de pedalar, não deixe de ler a matéria do Vale do Loire, na França.

Aqui você encontrará, nossas experiências, roteiro e dicas












Siga-me também no Instagram para mais conteúdos de viagens

@lialaviagens




Fotos : Guilherme de Magalhães Andrade

Contribuição fotográfica: Sergio Diniz e Liamhara Wendt

1 comentário