top of page

Pirenópolis, seus encantos, cores e sabores!

Atualizado: 5 de out. de 2022

É com muito prazer que lhes apresento esta charmosa cidadezinha e seu povo simpático e acolhedor. Sinceramente, esta foi a minha impressão quando pela primeira vez visitei Pirenópolis há alguns anos. Desde então, de tempos em tempos, volto para me nutrir dessa energia maravilhosa que esse lugar emana.



Mergulhar nas cachoeiras que se espalham por esta terra maravilhosa é algo irresistível e se faz necessário. Aqui o calor é impiedoso e seco, mas a natureza, generosa.





No coração do Brasil, Pirenópolis preserva seu casario colonial, costumes e tradições que remontam ao inicio do séc. XVIII.

Para se chegar às atrações, o caminho já vale a viagem: a vegetação de arbustos retorcidos, típica do cerrado, nos acompanha servindo de moldura. E o solo, rico em depósitos minerais como o cristal de quartzo, brilha ao sol.

Não é difícil cruzar com um tamanduá-bandeira ou uma seriema distraída, eles fazem parte do cenário. Quando se ouve um canto rouco de pássaro e o mesmo tiver um jeito particularmente desengonçado de voar, pode ter certeza – é um dos muitos tucanos do pedaço. A flora, apesar de castigada sem trégua pelo sol, resiste bravamente e se descortina numa infinidade de cores, formas e frutos.



Cachoeira dos Dragões



História

As descobertas de ouro pelos bandeirantes trouxeram os primeiros colonos. Em 1727 surgem as Minas de Nossa Senhora do Rosário de Meia Ponte – Meia Ponte porque certa vez, metade de sua ponte (sobre o rio das almas) foi levada por uma enchente. Só a partir de 1890 passou a se chamar Pirenópolis, por estar próxima à serra dos Pirineus, distante 22 km que abriga o parque estadual de mesmo nome.

À exemplo do que aconteceu em outras cidades coloniais brasileiras, depois do apogeu do ciclo minerador do ouro a cidade entrou em decadência econômica, o que ajudou a preservar casarões e igrejas praticamente intactos. Em 1989 foi tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e a partir de 1997 iniciaram-se projetos de restauração nos principais monumentos do centro histórico.



Cachoeira Sonrisal


Cachoeira do Rosário





Cavalhadas e Mascarados

É durante a festa do Divino que todos os anos desde 1819 são encenadas as Cavalhadas, manifestação folclórica que representa as batalhas travadas entre mouros e cristãos. O evento é tão paramentado e tradicional que um grupo foi convidado para apresentações na França em 2005 , ano em que o Brasil foi homenageado em diversas frentes naquele país. Não menos importantes e presentes no mesmo festejo são os Mascarados, que surgem por toda a parte e brincam com o povo, irreconhecíveis, vestidos dos pés a cabeça com roupas coloridas.



Cachoeira dos Dragões

Um momento de profunda meditação e êxtase diante de tanta beleza!

Percorrer esse conjunto de 08 cachoeiras situadas dentro da propriedade de um mosteiro zen-budista, por Trilhas, em meio a vegetação exuberante e formações rochosas de rara beleza, é uma caminhada para se fazer com calma.

Não esqueça de levar um lanchinho e água na mochila.

Distancia da cidade: 40 km (é recomendável carros com tração 4X4).


A pé, de mountain-bike ou jipe é possível conhecer grande elenco de piscinas e quedas d´água cristalinas em Pirenópolis. Nós escolhemos as 3 opções. Perfeito para naturalmente baixar a voltagem que trazemos do dia a dia.




Culinária Goiana

O Brasil central oferece preciosidades, uma rica alquimia de sabores regionais. Eu sou apaixonada pela cozinha Goiana. Entre as iguarias da culinária de Goiás não se pode deixar de provar o frango com pequi (cuidado com os espinhos!), o famoso mané pelado (bolo com mandioca, coco e canela) e o empadão goiano (composto com diversos recheios).

A maravilhosa pamonha salgada recheada, gariroba (tipo de palmito amargo), biscoitos de queijo, castanhas de barú (sabor entre amendoim e amêndoas) e o cajuzinho do cerrado (para sucos e compotas) são apenas algumas das receitas passadas de geração em geração






Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Construída entre 1728 e 1732, é considerada o maior e mais antigo monumento de Pirenópolis. Sofreu um grande incêndio em 2002. Foi re-inaugurada graças a um intenso trabalho de restauração. No centro de tudo, Avenida Neco Mendonça.


















Fazenda Bonsucesso – Reúne 06 belas cachoeiras, com piscinas naturais para banho e 1.300m de trilhas pela mata.

Possui infra-estrutura com restaurante.

Acesso pago.

Distancia da cidade : 04km pela

estrada fazenda Bonsucesso










Conjunto de casario colonial no centro de Pirenópolis, cidade tombada pelo Iphan


A noite, na baixa ou alta temporada, o movimento é na rua do Lazer, com seus bares e restaurantes bem decorados e mesinhas na calçada.


O centro histórico, nas cercanias da Rua do Lazer, concentra uma diversidade de lojas de artesanatos em prata, cerâmica, tecelagem, móveis e couro. Nos fins de semana acontece a feira das artes na Praça do Coreto.











Quando sair para caminhar no centro histórico, vale uma paradinha na sorveteria Colorê. Você vai encontrar diversos sabores de frutas locais.

Este é o meu preferido, Sorvete de castanhas de barú.










Parque da serra dos Pirineus - No ponto mais alto da região, a 1385m , o pico dos Pirineus domina o parque estadual criado em 1987. No local uma pequena capela é dedicada à Santíssima Trindade. Com uma área de 2,833,26 hectares reúne rica diversidade de fauna e flora com várias espécies endêmicas da região. O cerrado de altitude guarda nascentes, e formações rochosas de rara beleza. Trilhas e cachoeiras acessíveis com ajuda de guia. Não possui infra-estrutura. Distancia da cidade: 22 km pela estrada das pedreiras.




Quando ir

A melhor escolha: à partir de maio, pois as cachoeiras estão cheias e o período de chuvas já passou.

A temporada seca vai até novembro.


Onde ficar:

Pirenópolis tem muitas opções de hotéis, pousadas e Camping.


Mas uma boa dica é alugar uma casinha confortável pelo site Airbnb,

Na minha ultima viagem a Pirenópolis, fizemos essa opção e adoramos! Através do site encontramos uma casa bem agradável, espaçosa e com piscina.

Segue o link do Airbnb


Como chegar: -

Para quem vem de São Paulo ou Rio, o melhor é pegar um avião até Goiânia ou Brasília (1h20 de viagem) e a partir daí, seguir em carro/ ônibus (1h30’~2h de viagem).


de carro:

Por Brasília (128km): Siga pela BR-070. Antes de chegar a Cocalzinho dobre a esquerda na BR-414. Depois de passar por Corumbá de Goiás dobre a direita na GO-225 e mais 20 km você esta em Pirenópolis.


Por Goiânia(122km): Saia em direção a Anápolis pela BR-153. Passando por Anápolis continue pela BR-153 até o encontro com a GO-431. Siga por esta última até Pirenópolis.


de ônibus:

A partir de Brasília ou Goiânia:

Viação Goianésia (consulte os horários):

Tel:

62- 3331-2765 (Pirenópolis)

61- 3233 7891 (Brasília)

62- 3223 1362 (Goiânia)


Dicas de cachoeiras:


Cachoeiras dos Dragões ( minhas preferidas) – Conjunto de 08 cachoeiras situadas dentro da propriedade de um mosteiro zen-budista. Trilhas em meio a vegetação exuberante e formações rochosas de rara beleza. Acesso pago. Distancia da cidade: 40 km (é recomendável carros com tração 4X4).


Cachoeiras do Lázaro e de Santa Maria – Fazem parte da reserva de Vargem Grande e formam bons poços para banho. Boa infra-estrutura, com serviços de apoio e natureza preservada. Distancia da cidade: 11 km pela estrada das pedreiras. Acesso pago.


Cachoeira do Abade – Imponente queda d’água de 22 m, com piscina natural. Não possui infra-estrutura. Acesso pago. Distancia da cidade: 14 km pela estrada das pedreiras.


Cachoeira do Rosário- É o melhor ponto para a prática de rapel, com 42m de queda d’água, além de piscina natural. Boa infra-estrutura com restaurante (fogão a lenha).

Distancia da cidade: 33 km Estrada p/ Goianésia km (é recomendável carros com tração 4X4).


Fazenda Bonsucesso – Reúne 06 belas cachoeiras, com piscinas naturais para banho e 1300m de trilhas pela mata. Possui infra-estrutura com restaurante. Acesso pago.

Distancia da cidade : 04km pela estrada Fazenda Bonsucesso


Trilhas e esportes radicais

Algumas das cachoeiras e trilhas requerem a contratação de guia. Para rapel, escalada, tiroleza, arvorismo e roteiros de mountain-bike a equipe do CAT dá suporte e orientação. Maiores informações:

Centro de atendimento ao turista - CAT

Rua do Bonfim, 1 - Centro Histórico

(62) 3331 2633


Agradecimentos:

Secretaria de Turismo de Pirenópolis



Fotos: Guilherme de magalhães Andrade



1 comentário

1 commentaire


tarsilandrade
tarsilandrade
17 août 2019

Lialá! Amei o seu blog! Sou sua fã! Você é linda, delicada e sensível à beleza da natureza e às coisas do povo! Sabe curtir e transmitir os sabores das suas viagens a quem nunca se aventurou nesses “lás” da Lia... parabéns menina!

J'aime
bottom of page